A forma mais rápida de pesquisar é simplesmente falar, por esse motivo a pesquisa por voz está sendo cada vez mais usada e o seu ambiente digital precisa estar preparado.

https://youtu.be/TYsadcIHPrc

Ao dirigir ou enquanto estamos ocupados com outra tarefa, basta acionar o comando de voz do seu celular para descobrir o que quer que seja.

Para quem tem negócios online, essa tendência merece uma atenção maior, uma vez que influencia diretamente o bom posicionamento em buscadores, como o Google, sendo uma importante estratégia de SEO. A seguir, nós falamos sobre essa tendência e como melhorar adaptar seu site ou loja virtual a ela.

Como funciona a pesquisa por voz?

Na prática, a pesquisa acontece por meio dos motores de busca que são acionados por um comando de voz. Ou seja, você faz uma pergunta e o assistente traz os resultados, pulando a etapa de ter que digitar no buscador o que você deseja saber.

Desde que os smartphones e demais aparelhos mobile se tornaram mais comuns à população, a busca por voz não para de crescer. Não é à toa que existem tantos assistentes pessoais, como:

  • Google Now, que é exclusivo para o Android;
  • Google Assistente, que pode ser usado em outros sistemas operacionais;
  • Siri, da Apple;
  • Alexa, da Amazon;
  • Bixby, para aparelhos da Samsung a partir do Galaxy 8;
  • Cortana, do Windows.

O fato é que o Google, buscador mais utilizado mundialmente de acordo com relatório da NetMarketShare, sempre traz melhorias para que os usuários consigam os resultados mais relevantes.

Uma dessas mudanças tem a ver com a busca por voz, já que a prática vai além do simples uso da palavra-chave. Um exemplo é quando você quer saber onde é supermercado mais próximo. Ao jogar no Google, você pode digitar supermercados apenas, porém, na busca por voz isso tende a virar uma pergunta, como “onde é o supermercado mais próximo?” ou até “quais os supermercados no bairro X”.

Com isso, em 2013, o Google fez a atualização Hummingbird, para que os resultados nas buscas fossem mais precisos e melhorasse a experiência dos usuários. Assim, desde então, o foco está mais na semântica do que nas palavras-chave exatas.

Como agir sabendo disso? Ao invés de colocar repetidas vezes a palavra-chave em um texto, trabalhe outros itens, como dados de localização, variação das palavras e sinônimos. Um bom exercício é pesquisar e entender como o seu público chega até o seu site.

Qual o volume da pesquisa por voz?

Muita gente já faz uso das buscas por voz e esse tipo de consulta tende a aumentar. De acordo com o Google, ao longo de 2020, 50% de todas as pesquisas serão baseadas por voz.

O Google Assistente, por exemplo, deverá estar presente em um bilhão de aparelhos ao longo do mundo. Além disso, até 2018, 20% das pesquisas em aparelhos Android eram feitas por voz, número que ainda tende a crescer. Ou seja, esse tipo de busca impacta demais o tráfego de um site ou e-commerce.

Por que é preciso adaptar os conteúdos para a busca por voz?

Porque, caso você demore com essa adaptação, pode perder tráfego e, dessa forma, conquistar menos conversões, fato que vai afetar seu faturamento. É imprescindível entender as mudanças do Google e se adaptar o quanto antes a elas até para garantir um diferencial perante sua concorrência.

Como otimizar os conteúdos para um bom ranqueamento?

Para que o número de visitantes em seu site se mantenha e até cresça, é necessário trabalhar em algumas atualizações de conteúdos e outras práticas que nós detalhamos a seguir.

1. Otimize os conteúdos usando perguntas

O conteúdo do site na era da pesquisa por voz não se refere apenas a um texto lotado de palavras-chave e, sim, está relacionado à escrita natural, com perguntas e uso do sinônimos para melhorar a experiência do usuário.

Para isso, coloque-se no lugar do público e escreva da melhor forma para resolver as dores e problemas. Uma dica é apostar em intertítulos com perguntas claras que vão direto nas necessidades dessas pessoas.

2. Use palavras-chave de cauda longa

Existe muito conteúdo focado em palavras-chave genéricas que dificultam um bom ranqueamento. Por isso, usar palavras-chave de cauda longa, ou seja, termos com três ou mais palavras que se tornam mais específicos, é uma boa tática.

Supondo que você queira trabalhar o termo sorveteria. Ele é bem genérico, rende milhares de resultados e não lhe trará um bom posicionamento. O melhor é trocar por algo mais específico e relacionado ao seu negócio, como “sorveteria artesanal em São Paulo” ou variações como essa.

3. Aposte em conteúdos locais

Existe muitas pesquisas com o termo “perto de mim” no Google. Por isso, é mais que básico cadastrar sua empresa no Google Meu Negócio. Com essa prática, você melhora seu SEO local para que a empresa seja encontrada de maneira mais fácil.

4. Trabalhe com dados estruturados

Os dados estruturados se tornam mais importantes para adaptar seu site para a busca por voz. O que acontece é que a implementação da marcação desses dados ajuda no SEO, facilitando para o Google e outros buscadores analisarem e categorizarem os resultados de pesquisa.

Pensando no SEO, esses dados se relacionam à implementação de uma marcação na página web, fornecendo detalhes adicionais sobre o conteúdo. Para o Google, o Schema.org é a ferramenta mais utilizada.

5. Tenha um site otimizado para mobile

As pesquisas são feitas cada vez mais em dispositivos mobile. Moral da história? Se o seu site carrega rapidamente no desktop, mas não em smartphones ou tablets, o Google fará com que ele perca posições preciosas. Assim, é essencial que ele seja rode bem no mobile e promova uma experiência boa ao usuário.

6. Esforce-se para conquistar featured snippets

Já ouviu falar em featured snippet? Isso nada mais é do que uma resposta ou uma lista de itens que aparece logo após os links patrocinados, respondendo diretamente a uma dúvida. Eles ajudam positivamente no tráfego do site ou loja virtual porque costumam ser a primeira opção de clique. Para conquistar um featured snippet, o primeiro passo é responder de forma clara e sem dar muitas voltas.

Ao adaptar seu site para todas essas mudanças, a busca por voz se torna mais simples e rende os melhores resultados. Você pode acompanhar a melhora do tráfego por meio do Google Analytics e fazer comparativos de visitas antes e após as adaptações feitas. O que não vale é ignorar as pesquisas por comando de voz, que ainda vão crescer muito e podem ser um excelente impulso às suas conversões.

Link úteis

https://www.ama.org/marketing-news/8-ways-to-optimize-a-website-for-voice-search/