Empresas de tecnologia estão se reunindo para discutir sobre como podem trabalhar para ajudar na contenção da COVID-19. A Inteligência artificial está sendo a grande aceleradora na busca pela contenção da pandemia de Coronavírus.

 

Executivos de grandes empresas de tecnologia como Amazon, Google, Microsoft, Apple, Facebook pretendem adotar medidas conjuntas para combater com inteligência artificial o COVID-19. As primeiras ações das gigantes da tecnologia já foram a mudança de postura em redes sociais, além de usar inteligência artificial no processo.

O foco está em levantamento de dados. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), ferramentas de big data e automação de dados foram cruciais para que a China pudesse tentar controlar a propagação do vírus da COVID-19.

Dados sobre o Coronavírus

Uma das primeiras iniciativas neste sentido divulgadas pelo Facebook foi fornecer dados para pesquisas sobre o tema em universidades. A empresa está trabalhando com a School of Public Health, de Harvard, e a National Tsing Hua University, em Taiwan, compartilhando dados de mobilidade de forma anônima e mapas de densidade populacional. O objetivo é “ajudar em modelos de previsão para a disseminação do vírus”, informa a companhia.

Além disso, as empresas também estão colaborando com inteligência artificial para criar possíveis remédios, se não contra o SARS-CoV-19, o vírus da doença, ao menos para amenizar os sintomas para diminuir riscos.

Uma companhia chamada Excienta, do Reino Unido, já criou a primeira droga, que ainda está em testes, com auxílio de algorítimos de inteligência artificial. No total, foram 12 meses de desenvolvimento, contra a média de 5 anos convencionais.

O sistema também pode ser usado não só para criar vacinas e antivirais para a COVID-19, mas também buscar em drogas existentes se é possível chegar a alguma variação que funcione neste caso.

Por fim, a inteligência artificial também pode ajudar a manter os ambientes limpos usando robôs. Existe uma série de aparelhos automatizados para limpeza que podem fazer o serviço de modo mais seguro. Robôs podem ser usados para limpar hospitais e ambientes públicos, sem colocar pessoas em risco para fazer o trabalho.

Recomendações

Para evitar a proliferação do vírus, o Ministério da Saúde recomenda medidas básicas de higiene, como lavar bem as mãos (dedos, unhas, punho, palma e dorso) com água e sabão, e, de preferência, utilizar toalhas de papel para secá-las.

Além do sabão, outro produto indicado para higienizar as mãos é o álcool gel, que também serve para limpar objetos como telefones, teclados, cadeiras, maçanetas, etc. Para a limpeza doméstica recomenda-se a utilização dos produtos usuais, dando preferência para o uso da água sanitária (em uma solução de uma parte de água sanitária para 9 partes de água) para desinfetar superfícies.

Utilizar lenço descartável para higiene nasal é outra medida de prevenção importante. Deve-se cobrir o nariz e a boca com um lenço de papel quando espirrar ou tossir e jogá-lo no lixo. Também é necessário evitar tocar olhos, nariz e boca sem que as mãos estejam limpas.

Para a higienização das louças e roupas, recomenda-se a utilização de detergentes próprios para cada um dos casos. Destacando que é importante separar roupas e roupas de cama de pessoas infectadas para que seja feita a higienização à parte. Caso não haja a possibilidade de fazer a lavagem destas roupas imediatamente, a recomendação é que elas sejam armazenadas em sacos de lixo plástico até que seja possível lavar.

Além disso, as máscaras faciais descartáveis devem ser utilizadas por profissionais da saúde, cuidadores de idosos, mães que estão amamentando e pessoas diagnosticadas com o coronavírus. Também é importante que as pessoas comprem antecipadamente e tenham em suas residências medicamentos para a redução da febre, controle da tosse, como xaropes e pastilhas, além de medicamentos de uso contínuo.

Produtos de higiene também devem ser comprados e armazenados como uma medida de prevenção. No caso das crianças, recomenda-se que os pais ou responsáveis, adquiram fraldas e outro produtos em uma maior quantidade para que se evite aglomerações em supermercados e farmácias.

Link úteis

https://www.bbc.com/news/technology-51851292