Neurônios artificiais e biológicos apenas falam na internet. Uma rede neural internacional conecta remotamente o cérebro real e artificial.

https://youtu.be/QycWzmyQHJs

Pela primeira vez, os cientistas projetaram e ativaram uma rede neural que permite que células cerebrais artificiais biológicas e baseadas em silício se comuniquem.

Pesquisadores na Suíça, Itália e Reino Unido conectaram uma série de neurônios: dois neurônios artificiais de alta tecnologia e um neurônio biológico cultivado no cérebro de um rato, capazes de se comunicar pela Internet de maneira muito semelhante à maneira como os neurônios transmitem sinais no cérebro.

A pesquisa, publicada na revista Scientific Reports, está nos seus primeiros dias. O sistema, por enquanto, é uma rede “simples”, com o neurônio biológico alojado em um laboratório da Universidade de Pádua, na Itália. A comunicação é feita com os neurônios artificiais, localizados na Universidade de Zurique, na Suíça, usando uma estrutura de sinapse biológico-artificial.

Por enquanto, é uma rede simples. Mas, poderia ser um primeiro passo importante em direção a próteses mais inteligentes e adaptáveis ​​e interfaces cérebro-computador – e potencialmente estabelecer as bases para um mundo onde os implantes neurais criam redes cerebrais reais.

Por um lado, estabelece as bases para um novo cenário que nunca foi encontrado durante a evolução natural, em que neurônios biológicos e artificiais são conectados e se comunicam através de redes globais; estabelecendo as bases para a Internet de neuroeletrônica.

Ainda, traz novas perspectivas para as tecnologias neuroproséticas, abrindo caminho para pesquisas sobre a substituição de partes disfuncionais do cérebro por chips de IA.

Utilidade o cérebro na prática

A pesquisa é inicial e ainda não tem uma utilidade prática. Embora não pareça, a pesquisa é um avanço que prepara o caminho para tecnologias futuras, como a inteligência artificial avançada e sistemas de aprendizagem ou armazenamento.

Poderíamos ter um sistema de estimulação cerebral onde uma pessoa poderia aprender instantaneamente qualquer coisa.

Assim como no filme “Matrix”, no futuro, um computador poderia se conectar ao cérebro e ensinar instantaneamente qualquer pessoa a dirigir uma moto ou lutar kung-fu.

O sistema também poderia ser utilizado para controlar computadores e outros dispositivos com a mente. As pesquisas com esse tipo de interface já existem desde os anos 70.

Ainda fazer download de memórias e lembranças, armazenar em nuvem para processamento e análises psicológicas por inteligência artificial.

Sistemas de realidade extremamente imersíveis criar mundos e realidades virtuais infinitas e interconectadas onde grupos podem interagir e viver no digital.

Outro futuro possível é no tratamento de certos tipos de lesões cerebrais ou doenças neurológicas, como Alzheimer. Com isso, a pesquisa para a tecnologia de um implante neural avançaria até o ponto em que o cérebro humano se fundiria à IA. Não haveria, em tese, limites para o pensamento humano.

Link úteis

https://futurism.com/neoscope/artificial-biological-neurons-talked-internet

https://www.southampton.ac.uk/news/2020/02/brain-artificial-neurons.page

https://futurism.com/neoscope/scientists-build-artificial-brain-cells